terça-feira, 4 de agosto de 2015

Sem asas

Na madrugada fantasmagórica, surge um mar de piratas povoado de navios decadentes sombreados pela maresia. Os meus falcões têm asas de toalhas e lançam-se em voos corridos até perder de vista ou faltar o fôlego. O que vier primeiro. Agosto eclipsou-se da nossa praia para as filas nas padarias. Sobre um areal deserto, o vulto fez içar uma bandeira sem caveira, de cor amarela, certamente receoso de nos perder para a maré. À beira mar construímos torres inventadas que nos elevam a fantasia de sermos reis de rapina. Éramos três falcões. Os únicos a existir...
O sol descobriu-nos envergonhados das asas postiças. Não dos voos alados. 

10 comentários:

  1. Os melhores dias de praia são assim... nós e quem importa.
    Boas férias!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Be,
      Esses são, de facto, os melhores dias. Com ou sem praia.
      Um beijo,
      Outro Ente.

      Eliminar
  2. As melhores estórias têm piratas, torres inventadas e sorrisos genuínos.
    Boas férias Outro Ente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Imprópriaparaconsumo,
      Por vezes, temos a ventura de os juntar a todos num mesmo instante.
      Um beijo,
      Outro Ente.

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Bandarra?
      Por mais que trove, não regressará o Messias.
      Um beijo,
      Outro Ente.

      Eliminar
  4. Deram asas à imaginação e foram o que vos apeteceu. E é tão bom, deixar a imaginação voar e deixar os corpos seguir-lhe o rasto, sem vergonha dos voos alados. Nem das asas postiças é de sentir vergonha.
    Continue Com asas, sim, também na ponta dos dedos, só assim se descrevem desta maneira os voos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que simpatia menina Cláudia.
      Obrigado,
      Outro Ente.

      Eliminar
  5. Ainda não descobri melhor terapia que o Sonho.:)
    Boas férias. Espero que pelo seu marear se cruze com o cântico das sereias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Sandra Louçano,
      Desconfio sempre de sereias. Receio ser enfeitiçado, como os marinheiros do Bojador. Paradoxalmente, continuo a sonhar com boa esperança.
      Um beijo,
      Outro Ente.

      Eliminar