quinta-feira, 9 de abril de 2015

Goji

Há cerca de um ano, fui ao viveiro de plantas que costuma tratar-me do quintal. Junto à entrada estavam uns arbustos pequenos com umas bagas vermelhas. Lycium Barbarum. Ou, simplesmente, plantas de goji. Logo pensei em ter um. Afinal, comer as bagas acabadas de colher da planta, seria coisa biológica a valer. Verdadeiro investimento no bem-estar e na longevidade familiares. Idealizei o local, entre a buganvília e a roseira inglesa, e pedi que me plantassem a goji quando lá fossem cuidar das árvores.
Um dia, quando cheguei a casa, deparei-me com o trabalho feito e senti-me logo rejuvenescido. Ah!, agora é que ia ser moderno, a enfardar goji fresquinhas, ainda por encarquilhar.
De início, o pequeno arbusto era o meu embondeiro. Eu, um principezinho de boa forma, a todos apresentava o novo residente. Um verdadeiro enlevo.
Depois, passou-me a febre. Ficou a goji ao fundo do quintal. Veio o verão que trouxe ausências. Chegou outubro e a ronda da praxe.
É então que me apercebo... o arbusto era agora um emaranhado de longas guias. Uma visão absolutamente desregrada. Crescera sem rei nem roque e entrelaçara-se com as outras plantas, atravessara a grade do canil de Milú, lançara-se sobre a laranjeira mais próxima e estendera-se sobre a relva. Uma profusão descontrolada de lianas, a fazer lembrar a selva. E, ainda por cima, as folhas eram feias, os ramos tinham espinhos e as bagas não chegavam para a cova de um dente.
Logo ali me decidi a arrancar a porra da erva que estava a dar cabo de tudo. Munido de luvas e de um pequeno serrote, lancei-me à tarefa, enquanto maldizia a moda das porcarias saudáveis. Imbecis. Todos uns imbecis. Isto é difícil de arrancar. Está aqui, está a vir a roseira agarrada. Ai que esta merda está a abanar a buganvília e vai fazer cair todas as flores. Au, que a gaja pica mesmo.
Por fim, venci. Coloquei a erva daninha no lixo. Entrei em casa, para logo ouvir: "ai que tem o braço todo arranhado. Deixe-me ver. Quando não, ainda lhe saem por aí as veias grossa, que as finas não cabem".
(Também "prefiro rosas" "e antes magnólias amo").

15 comentários:

  1. Nunca terei um arbusto de Goji. É que lá em casa diziamos tripas em vez de veias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Mirone,
      Lá está, não percebo como gente tão esclarecida insiste em distinguir entre destros e canhotos.
      Tenho muitos primos (sim, mais que 13, mesmo que só os direitos contassem) e faltam-me os que já não tenho.
      Beijos,
      Outro Ente
      (Ganhei. Onde está o meu prémio?)

      Eliminar
    2. Uma distinção tola não é? Pois se um canhoto faz com a mão esquerda tão bem ou melhor aquilo que um destro faz com a direita.

      (https://www.youtube.com/watch?v=zCfyOXJf3ZM
      O prémio? Fica com elas todas para si, há dúvidas?)

      Eliminar
    3. Mirone, meu bem,
      Enviou-me desenhos animados? Enviou-me desenhos animados. Estive a ver desenhos animados. Impagável é o que é.
      Não diria tola, diria antes deselegante. Enfim, coisas minhas que não me limito a abrir umas portas e a medir uns decotes, enquanto deixo falar. Bem vistas as coisas, será apenas uma questão de respeito.
      Obrigado pelo vídeo, que aceito como prémio. No mais, o seu a seu dono.
      Boa tarde,
      Outro Ente.

      Eliminar
  2. o problemas das bagas estrangeiras, é que têm tendências territoriais elevadíssimas, e não têm qualquer pejo em abocanhar a vizinhança.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, querida Mia, são como os cães que mordem a mão do dono que lhes dá comida.
      Boa tarde,
      Outro Ente.

      Eliminar
  3. Do piorio, essas trepadoras desregradas! Antes cortá-las, arriscando arranhões, do que deixá-las à solta.

    Beijo, Ente. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Maria Eu,
      É preciso muito cuidado com o que deixamos entrar em casa. Intimidades e outras que tais.
      Beijos,
      Outro Ente.

      Eliminar
  4. Pois eu estou absolutamente perplexa, atónita, com esse ataque à natureza.
    Então corta-se assim uma cabeça só porque se vê despenteada?
    Se não fossem as lianas selvagens como é que Tarzan salvava Jane das garras das terríveis feras?
    E como é que sem picos... enfim, uma tormenta para me consumir a tarde inteira.

    ResponderEliminar
  5. Querida Uva,
    Ainda não se cortaram cabeças. Até agora só se discutiram as carecas e as despenteadas. De arrepelar.
    Será sempre a Jane a salvar o Tarzan.
    Beijos,
    Outro Ente.

    ResponderEliminar
  6. Os bambus também são muito zen e exóticos e tal mas arrasam com um jardim. Deixando-os crescer conseguem derrubar muros. Uma pessoa até quer ter um jardim catita e depois é isto. Uma maçada, é o que é!

    ResponderEliminar
  7. Querida Papoila Bem Me Quer,
    Essa é novidade para mim. Tenho umas canas de bambu plantadas em redor de uma zona a que quis dar especial privacidade. Estão enormes e cumprem bem o propósito. Mas, nunca notei que "abusassem". Atentarei.
    Beijos,
    Outro Ente.

    ResponderEliminar