quinta-feira, 22 de junho de 2017

Gregário

Todos os dias, cruzo-me com mulheres cativantes. Deverei dizê-lo a todas?

13 comentários:

  1. O erro é igualmente cativante.

    Mas o que eu vinha cá dizer é que estimo muito tê-lo de volta, meu caro Outro Ente.

    Um Abraço.
    Impontual

    ResponderEliminar
  2. Jamais.
    A coisa mais perigosa do mundo é uma mulher cativante que sabe que o é...

    :)

    ResponderEliminar
  3. Ui, é verdade que o elogio caí sempre bem, mas do lado de lá podem sempre pensar outras coisas, pois como sabemos as senhoras pensam muito, às vezes talvez demasiado, está por sua conta e risco, não alvitro nada... mas irei ficar atento a outras pronunciações.

    ResponderEliminar
  4. Nada como fazer a experiência, Outro Ente.
    Depois, conte-nos como foi! O mais certo é que todas se fiquem a sentir...outros entes! ehehehe

    Boa tarde, Outro Ente. :)

    ResponderEliminar
  5. Porquê dizê-lo a todas? Fazê-lo perceber a quem aprecia é que é de valor.

    Beijinhos, caro Ente. :)

    ResponderEliminar
  6. Quem me dera poder dizer o mesmo dos homens
    Mas ... é karma, enfim ...!
    Sim, é não desistir. :)

    Boa noite, Doce Outro Ente!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu diria mais Sr Outro Ente Doce :)

      A bida tem curvas e contra curvas!!! Enfinhe, assim é a vida.

      Eliminar
    2. Respondendo a sua pergunta:
      :))

      Só com 3 semanas de conhecimento! Ficará de bom tom dizerrr ... ucê me cativa, meu bem ou meu anjo. lololol

      Viva a boa disposição. :)

      Eliminar
  7. Pode ser uma maneira de ver se depois disso a afirmação se mantém... em muitos casos eu diria que se vai desvanecer, mas não há nada como a experiência e análise de resultados.
    Bom dia, Outro Ente

    ResponderEliminar
  8. "Estranho que por mim passas! não sabes com que
    anseio meus olhos te fitam.
    Porque és aquele que eu procuro, aquela que eu
    procuro ( como se fora um sonho ),
    Tenho a certeza que, nalguma parte, alegremente
    vivi contigo,
    Recordo, ao nos cruzarmos, tudo, fluido, afectuoso,
    casto, calmo,
    Cresceste comigo, foste comigo um rapaz, comigo
    foste rapariga,
    Comi contigo, dormi contigo, o teu corpo não ficou só teu, nem o meu corpo só meu,
    Deste-me o prazer dos teus olhos, do rosto, da carne,
    ao nos cruzarmos levas da minha
    barba, peito, mãos, em troca.
    Não me cumpre falar-te, eu sou quem existe para
    pensar em ti, quando fico sozinho
    ou de noite acordo,
    Eu sou quem deve esperar, seguro de voltar a
    encontrar-te,
    Eu sou quem deve cuidar de te não perder para sempre."
    Walt Whitman, A um Estranho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que belo. Obrigada, Outro Ente.
      Conhecesse eu o poema e te-lo-ia escrito aqui, para si, como comentário, ao invés daquilo, tão sem graça, que escrevi.

      Eliminar
  9. Se me permite, uma escolha muito bonita!
    Aproveito e peço desculpa, acho que me estiquei nos comentários.

    Boa noite, Doce Outro Ente!

    ResponderEliminar