quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Tautologias

Once upon a time, há muito, muito tempo, numa altura em que o D. Dinis era poiso habitual e eu era poeta sem penas, apresentei uma boa amiga a um conhecido. Casaram e divorciaram-se. Eu continuo com uma boa amiga e um conhecido.
Twice upon a time, há tempos, apresentei uma boa amiga a um dos meus melhores amigos. A Bia é a única mulher que aparece com uma pasta de ursinhos e jarras murano coladas nas unhas e, mesmo assim, ouço com interesse. O Canelas é um homem íntegro, bonacheirão em versão XXL, que se perde por fado e fotografia. Acabam de me dizer que vão casar. E isso não é mau...

12 comentários:

  1. Há de facto uma ideia expressa de duas formas diferentes: O meu caro é um bom padrinho.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro JM,
      Basto-me com a repetição final: eu continuo... egoísta, bem o sei.
      Abraço,
      Outro Ente.

      Eliminar
  2. Ai, que lindo! Eu também adoro ser "casamenteira"! :D

    Beijos, caro Ente, e um bom final de dia. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Maria Eu,
      Pensar em si como "casamenteira" é imaginá-la Emma.
      Um beijo,
      Outro Ente.

      Eliminar
  3. Já agora,
    Querido Outro Ente,
    Não querendo abusar da sua simpatia,
    Por acaso ...não tem um amigo cinquentão, livre e disponível, tem?
    Eu apresento-me! :)

    Continuação de boa tarde.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Flor Ferrão,
      Fez-me gargalhar. Muito obrigado.
      Sendo a idade um pormenor que o tempo se encarregará de resolver, e aproveitando essa benevolência que me atribui foros de simpatia, quase lhe pedia que permitisse apresentar-me... não fora o pormenor da liberdade, que sempre se me evade, "livre não sou, que nem a própria vida mo consente" (Miguel Torga). Penso que também os meus amigos disponíveis procuram a lua. Talvez seja por isso que somos amigos "livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino. E vão lá desdizer o sonho do menino".
      É um gosto conhecê-la.
      Um beijo,
      Outro Ente.

      Eliminar
    2. Eu apresentava-me, para não dar trabalho nem incomodar,
      o querido Outro Ente.
      E até estava receosa de que o eu meu pedido, a minha pergunta, fosse abusiva.
      Gosto de Miguel Torga. :)
      Quase que poderia dizer que sou a lua! :))
      Não posso mentir, não sou a lua.
      Talvez seja uma grande dor de cabeça :))
      De qualquer forma, grata pela atenção.
      Acabei de colocar aqui, no seu espaço, um anuncio, sem ter pensado duas vezes! :))

      Beijos
      Florzinha

      Eliminar
  4. Assim nunca perde nada...
    Merece um tau-tau, Outro Ente.

    Boa noitologia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Teresinha,
      Posso lá dar-me ao luxo de perder amigos?! Todos me fazem falta. Sou avaro de amigos. (Não vou responder à ameaça de punição corpórea, até porque "quem confessa não merece castigo".)
      Bom dia,
      Outro Ente.

      Eliminar
  5. Mesmo que se divorciem, Outro Ente, continuará a ter uma boa amiga e um dos seus melhores amigos. Trata-se de uma regra de três simples. Matemática pura.
    Um beijo e bom fim-de-semana.
    Linda Blue.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Linda Blue,
      Matemática? Vejo que troça dos meus medos. Pois digo-lhe que ainda há não muito tempo, há tempo demais, um amigo... enfim... ele, que era o amigo procurou-me, mas a ela não podia eu apontar defeito e... ela, que não me merecia reparo procurou-me, mas era ele o amigo... e, enfim... perderam-se, ambos ou dois, para os três. Fim.
      Um beijo,
      Outro Ente.

      Eliminar