segunda-feira, 2 de março de 2015

A carta

Todo este alarido em torno de uma carta que nunca o foi, (que isto de emails não tem nada a ver! E nós a ver que sim...) lembrou-me as cartas trocadas entre o Visconde de Valmont e a Marquesa de Merteuil*. Como se citassem o Visconde "seus passos são, no mínimo, parelhos com os meus". Quem terá receio de ser vaiado?


*As ligações perigosas, de Choderlos de Laclos.

7 comentários:

  1. Les Liaisons Dangerereuses dão sempre nisto, ou seja, confusão.
    Livro, filmes e ópera, deu este romance constituído apenas por cartas.
    Era o tempo das intrigas e dos/as amantes (gosto mto desta palavra, mas no sentido não pejorativo do termo), que, agora tem outros contornos, outra abordagem.

    Gostei da comparação k estabeleceste entre um email e o romance.

    Somos recentes, em matéria de blogues, pelo que vi, pois ambos (penso ser um blogue, no masculino) começamos em fevereiro.

    Boa semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara Céu,
      É um gosto recebê-la por cá.
      Deixou-me na dúvida. Não é este, também, o tempo dos amantes?
      Desejo-lhe publicações e comentários à medida das suas aspirações.
      Beijo,
      Outro Ente.

      Eliminar
  2. A sua entrevista já está no meu blog muito obrigado ela sua grande disponibilidade e simpatia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Pipoca Arrumadinha,
      Foi um gosto.
      Creia-me penhorado,
      Outro Ente.

      Eliminar
  3. Pena que não haja mais cartas. Alarido é sempre bom e nada como uma boa troca de argumentos para animar o enfado. :)

    ResponderEliminar
  4. À troca de argumentos falta ser boa. Aliás, só tenho conhecimento de troca de acusações e queixinhas.
    Um beijo,
    Outro Ente.

    ResponderEliminar